Avaliação neuropsicológica na primeira infância

Avaliação neuropsicológica na primeira infância

A primeira infância é de extrema relevância  para o desenvolvimento humano, pois é época do desenvolvimento de  habilidades cognitivas e psicossociais fundamentais são como: motricidade fina e grossa, habilidades perceptivas e visuoespaciais, autorregulação emocional, linguagem, entre outras. É nessa fase que a família e a escola começam a observar de modo mais consistente as dificuldades cognitivas e comportamentais de crianças com transtornos de aprendizagem e desenvolvimento.

Ao trabalharmos com crianças pequenas, há sempre uma resistência por parte de diversos profissionais quanto à necessidade de se estabelecer um diagnóstico e um tratamento em uma fase tão precoce da vida. De fato, nesta faixa etária a apresentação de sintomas comuns em alguns transtornos mentais e do neurodesenvolvimento não é tão clara assim, e o estabelecimento de diagnósticos fechados pode não ser aplicável para muitos casos.

A avaliação nesta faixa etária buscará analisar sinais de desenvolvimento típico e de desenvolvimento atípico da criança. O desenvolvimento atípico pode envolver tanto o atraso em alguma área do desenvolvimento quanto a presença de comportamentos incomuns para qualquer faixa etária que podem contribuir para desfechos negativos.

Então como avaliar e intervir com crianças antes dos seis anos de idade quando há suspeita de sinais ou quadros que afetam o desenvolvimento cognitivo e potencialmente a aprendizagem e a qualidade de vida? É imprescindível que o profissional tenha conhecimento e experiente clínica não só com  desenvolvimento infantil, mas de avaliação psicológica, psicometria e saúde mental. Neste sentido o neuropsicólogo torna-se um profissional essencial para avaliação do desenvolvimento na primeira infância. A identificação precoce desses sinais auxilia a compreender condições ou quadros clínicos de base, e é fundamental para que ações preventivas e remediativas sejam realizadas, pois a primeira infância é a fase de maior plasticidade cerebral, constituindo-se uma ótima janela de desenvolvimento,  e por isso intervenções precoces tendem a ter melhores resultados do em qualquer outra época.

Uma boa avaliação neuropsicológica evidenciará pontos fracos e fortes do processo de desenvolvimento e oferece subsídios para que intervenções possam  ser organizadas com a família, com as equipes escolares e com eventuais equipes de atendimento clínico. Portanto torna-se imprescindível a capacitação constante e o uso de instrumentos atualizados e de qualidade reconhecida. Após meu último curso de qualificação na área de Neuropsicologia, e também a partir dos estudos do grupo de formação continuada em Neuropsicologia, pensando em qualificar o trabalho, acabo de adquirir e  incorporar ás minhas técnicas, instrumentos de avaliação neuropsicológica de bebês e crianças pequenas que são consideradas padrão ouro mundial.

Márcia Baiocchi Amaral
Márcia Baiocchi Amaral
Neuropsicóloga CRP 07/13656 - Graduação em Psicologia UPF - 2004 - Especialização em Intervenções Psicossociais UPF - Especialização em Neuropsicologia - FADERGS/RS - Especialista em Neuropsicologia pelo Conselho Federal de Psicologia - Especialização em Preceptoria em Saúde- Hospital Sírio Libanês - Mestranda em Atenção Integral a Saúde UNIJUÍ - Professora da Pós-Graduação em Neuropsicologia CEFEI- Ijuí/RS e do Curso de Psicologia da SETREM/ Três de Maio.